Texto Bíblico: Mt 25:14-18

INTRODUÇÃO
Qualquer discípulo gostaria de ouvir Jesus nos dizer: Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. (Mt 25:21 e 23). Esse versículo faz parte da Parábola dos Talentos e é repetido duas vezes. Todos queremos ouvir os adjetivos bom e fiel.
Acontece que, para quem tem o espírito da infidelidade, a Palavra não é nada agradável de se ouvir: E lancem o servo inútil nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes. (Mt 25:30). Hoje, o Senhor usará este estudo para desmascarar todo espírito de infidelidade que porventura ainda prenda alguns de seus discípulos. Seu chamado não é para entreter servos maus e negligentes, mas para discipular servos bons e fiéis ao Senhor.

Influências que o espírito da infidelidade provoca:

1) O espírito da infidelidade leva à incredulidade: O servo mau e negligente da Parábola dos Talentos – estes foram os adjetivos usados pelo Senhor para descrevê-lo (v.26), não creu na visão do seu Senhor, que disse que ele seria capaz de multiplicar o seu talento. Conforme o v.15, o Senhor viu capacidade em cada um de seus servos e por isso lhes confiou os talentos. Há forças espirituais malignas que não querem que você creia na visão que Deus tem para você. Lembre-se, por exemplo, de Gideão – como foi difícil para ele acreditar na visão de Deus de que ele era um varão valente e valoroso.

2) O espírito da infidelidade leva à murmuração: O servo mau e negligente declarou ao Senhor: Eu sabia que o senhor é um homem severo, que colhe onde não plantou e junta onde não semeou. (v.24). Observe como ele está transferindo a responsabilidade pela sua negligência para o seu líder. Noutras palavras, ele quis dizer que a maneira do seu senhor ser o levou a esconder o talento. Da mesma forma, o espírito da infidelidade leva o discípulo tanto a murmurar contra Deus como até mesmo para com seu discipulador. O servo mau e negligente sempre transferirá a sua responsabilidade pela sua infidelidade para o que ele acha que conhece de falhas do seu líder. Rejeite esse espírito de infidelidade na sua vida.

3) O espírito da infidelidade leva ao medo: E o medo o leva a paralisar. O servo mau e negligente disse: Por isso, tive medo, saí e escondi o seu talento no chão. Veja, aqui está o que lhe pertence. (v.25). O medo de falhar o levou a desistir e paralisar o que poderia fazer. Rejeite logo toda ação do espírito de infidelidade e todo medo de falhar que possa estar paralisando suas conquistas.

Quem é o servo bom e fiel?

1) O servo bom e fiel é uma pessoa decidida e corajosa. Ela tem coragem de multiplicar os talentos que o Senhor lhe deu. Não importa se são cinco, dois ou um. Cada um de nós recebe de Deus algo que pode ser usado para abençoar outras pessoas.

2) O servo bom e fiel é uma pessoa que confia na Visão de Deus. Se o Senhor, através de seu líder, disse que você pode, não fique com medo e nem enterre seu talento. Saia a campo e conquiste os territórios que Deus quer lhe dar.

3) O servo bom e fiel confia que Deus capacita os escolhidos. Isto mesmo: Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. Tendo Ele lhe escolhido, certamente capacitará você a cumprir seus propósitos. Aquele que se sente totalmente capacitado para fazer tudo o que Deus lhe manda, certamente não estará fazendo tudo o que Deus lhe manda. Pois Deus sempre quer que saibamos que não foi a nossa capacidade, mas o Seu Espírito que nos capacitou, e que é em Cristo que somos mais do que vencedores.

4) O servo bom e fiel se mantém motivado. Na Parábola, após entregar os talentos aos servos, o Senhor ausentou-se em viagem. Temos nossos líderes, os conservos, a Igreja… Porém, o nosso principal motivador é o próprio Espírito Santo de Deus. Não abra mão da ajuda d’Ele.

5) O servo bom conhece a lei da semeadura e da colheita. Observe na Parábola que o talento do mau e negligente servo foi tirado e entregue ao que tinha mais, ao que já possuía dez talentos para administrar! (v.28 e 29). Deus sempre honrará os servos que semeiam fidelidade e obediência.

CONCLUSÃO
Vamos rejeitar e expulsar de nossas vidas todo espírito de infidelidade bem como suas manifestações: incredulidade, murmuração e medo, em nome de Jesus. Vamos declarar que somos servos bons e fiéis… Aleluia!

Compilado por Pr. Marco Arja – CEO / Baependi – MG – www.ministerioceo.com.br
Correção Gramatical: Samuel Lopes Maciel
Coordenação e Revisão Geral: Pr. Donizétti Maciel

Estudo de Célula de Fevereiro de 2017