Introdução
Em Lucas 22.40 Jesus nos adverte a orar para não cairmos em tentação. Para entendermos melhor, podemos comparar o mundo a uma grande vitrine, recheada com toda a sorte de coisas com o objetivo de atrair nosso olhar e coração. Perceba então que o mal vem sempre travestido de algo bom. Em 1 Ts 5.22 a Palavra nos ensina, a fugir de toda a aparência do mal. No texto que acabamos de ler, Jesus não se deixou seduzir pelas ofertas apresentadas a Ele. Através da oração e jejum, Ele conseguiu discernir o engano que estava por trás delas. Baseados nessas passagens bíblicas, vamos entender que alguns danos certamente nos sobrevirão se nos deixarmos seduzir pelo mal.

1- Nossa identidade em Deus é atacada:
“Se és filho de Deus” – Uma vez que somos de Deus, sabemos quem somos, porque somos, e para que somos. Ou seja, o Pai nos deu um nome, um propósito e um alvo. Entretanto, podemos perder tudo isso se não nos prepararmos em oração e jejum para enfrentar os enganos da vida.

2- Passamos a nos alimentar de algo que parece bom, mas não é:
“Manda que esta pedra se transforme em pão” – Esse é outro engano muito comum em nossos dias. Existem muitas pedras que foram transformadas em pães, e que estão sendo oferecidas no lugar do pão genuíno que veio do céu, Jesus. Muitas pessoas estão sendo seduzidas pelo mais fácil, por aquilo que parece ser mais lógico, pelo mais convencional, deixando assim de se alimentarem do verdadeiro pão. Elas então deixam de ir à célula, à Igreja, não querem assumir um compromisso com Deus, e desta maneira criam a sua própria religião, ou seja, o seu próprio pão.

3- Deixamos de ver Deus como a nossa suficiência:
“Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele darás culto” – A adoração é a maior evidência de que somos só do Senhor. Quando satanás requer a adoração por parte de Jesus, ele estava propondo a ideia de ser possível servir a dois senhores. Parece que já vimos essa história acontecer no jardim do Éden. Uma vida de oração nos livra de vivermos uma vida em cima do muro.

4- Nos tornamos insensatos e imprudentes:
“Não tentarás o Senhor teu Deus” – Existem pessoas que decidem por conta própria trilhar um caminho enganoso, e logo começam a sofrer os prejuízos, e para piorar ainda mais, colocam a culpa em Deus. Em Pv 22.3, diz “O prudente vê o mal e passa longe, mas o insensato passa adiante e sofre a pena”. Lembre-se que Deus nunca fará aquilo que a nós compete fazer.

Conclusão
Assim como aconteceu com Jesus, se nos sujeitarmos a Deus em oração e resistirmos ao mal, ele certamente fugira de nós (Tg 4.7). Lembre-se que Jesus disse a Pedro: “Então nem uma hora pudeste velar comigo”? Como está a sua uma hora por semana de Oração e/ou Intercessão no Tabernáculo de Davi?

Sugestão de Louvor: Poder da Oração – Alda Célia

Fonte: www.montesiao.com.br
Adaptação: Ministério CEO – www.ministerioceo.com.br
Correção Gramatical: Samuel Lopes Maciel
Coordenação e Revisão Geral: Pr. Donizétti Maciel

Estudo de Célula de Julho de 2014