Anunciando a verdade que liberta!

Rádio Online

Ouça no Spotify

Q

40º dia – 15/07 – Sexta-feira – TSD (Tempo a Sós com Deus)

Texto para Meditação: Mt 6.7-15
“E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem.
Vocês, orem assim: ‘Pai nosso, que estás nos céus! Santificado seja o teu nome.
Venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia.
Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores.
E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal, porque teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Amém’.
Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará.
Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas”.”

[message_box title=”REFLEXÃO” color=”green”]A oração do Pai Nosso é o modelo perfeito de uma oração a ser ouvida por Deus. Não adianta ficar usando de repetição para com Deus, porque Ele sabe o que realmente você precisa. Seja preciso, objetivo com Deus, mas seja contrito (arrependido), humilde e ore fervorosamente ao verdadeiro Deus que, certamente, a sua resposta será fatal. Reconheça Deus como soberano e glorifique o nome dEle. Reconheça a vontade dEle como perfeita sem murmuração. Agradeça-o pelo pão de cada dia e peça perdão dos seus pecados, pedindo sempre o seu livramento de todo mal. Não se esqueça que o perdão de Deus para os seus pecados está condicionado ao perdão que você der ao seu ofensor. Hoje, neste encerramento dos 40 dias de jejum e oração, se você entendeu o nosso propósito diante de Deus, foi fiel no seu jejum e está clamando a Deus com poder, tenha certeza que você não é só um vencedor, mas sim mais que vencedor!!! Parabéns pela sua participação neste jejum coletivo e vá à sua Igreja no encerramento com uma oração fervorosa e um clamor intenso! Deus o abençoe![/message_box]

Compartilhe esta reflexão!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ Reflexões