Anunciando a verdade que liberta!

Rádio Online

Ouça no Spotify

Q

Os Pilares da Fé: Somente a Fé

Texto Base: Efésios 2.8-9

INTRODUÇÃO
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”. (Ef 2.8-9)
A igreja Católica dizia, sobre as indulgências, que “ao som de cada moeda que cai neste cofre, uma alma do purgatório sai”. Hoje existem as “novas indulgências”, onde que há alguns trabalhos para que as penas no “purgatório” ou a ida ao céu sejam aliviadas, por exemplo: um dia sem fumar, rezar com o Papa ou com o Pastor em frente à televisão, ajudar refugiados, orar mentalmente com surdos-mudos, não comer carne, etc., Assim como as obras de caridade faziam com que a pessoa fosse salva, assim também o era as indulgências.

DESENVOLVIMENTO
Logo, não são as nossas obras que nos salvam da ira de Deus. Mas a graça de Deus em nossas vidas e uma fé única e sincera em Cristo Jesus e em Sua obra consumada na cruz. Nós não precisamos fazer algo diante de Deus para nos justificar. Ninguém é justificado por suas obras (Rm 3.20), mas somos justificados gratuitamente pela graça de Deus através da fé em Jesus Cristo (Rm 3.23-24).
Por isso, quando Lutero leu “O justo viverá pela fé”, ele entendeu que o meio pelo qual o pecador vive diante de Deus é pela fé, a qual é dada pelo próprio Deus. A única obra que nos salvou foi a obra de Cristo feita na cruz do calvário.
Somente pela fé, e unicamente por ela, o pecador é salvo com base nos méritos eternos de Cristo. Sendo assim, a presente sola reafirma as três solas anteriores: a Escritura é o meio pelo qual Cristo é revelado, sendo este o alvo da fé, sendo que a fé é um presente concedido graciosamente por Deus “e isto (a fé) não vem de vós” (Ef 2.8).
Somente pela fé na pessoa e obra de Cristo, Deus declara o pecador injusto em justo. A necessidade de tal ato se dá por causa da nossa total inabilidade e incapacidade para satisfazer a justiça de Deus. Porque somos pecadores, todas as nossas obras estão corrompidas pelo pecado e, portanto, são inúteis a Deus, ou como a própria Escritura trata como algo podre (Is 64.6).
Diante da nossa impotência e incompetência, não podemos confiar em nossa carne, em nosso esforço, mas sim unicamente na obra de Cristo na cruz. A fé é a atitude de total confiança no que as Escrituras declaram a respeito de Cristo e sua obra.
“De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de
Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” (Hb 11.6)
A justificação é somente pela graça, somente por intermédio da fé, somente por causa de Cristo. Não existe evangelho a não ser o da substituição de Cristo em nosso lugar, pela qual Deus lhe imputou o nosso pecado e nos imputou a sua justiça. Por Ele ter levado sobre si a punição de nossa culpa, nós agora andamos na sua graça como aqueles que são para sempre perdoados, aceitos e adotados como filhos de Deus.
As obras são resultados de uma fé sincera. Será que você descansa unicamente na obra de Cristo?
A justificação pela fé somente é o progresso para a santificação. Toda e qualquer obra que façamos para sermos aceitos diante de Deus é um pecado. Faça obras que reflita a sua fé em Cristo Jesus, pois fomos salvos pela fé e para as boas obras as quais Deus de antemão nos preparou.

CONCLUSÃO
1) Você tem se achegado a Deus exclusivamente pela fé em Cristo, o novo e vivo caminho, reconhecendo que não há absolutamente nada de bom em você, ou você tenta fazer alguma obra para que Deus o aceite? Essas obras podem ser: frequência no culto, dizimar ou ofertar, ler a Bíblia ou orar, ficar um tempo sem pecar. Pense nisto: fé salvadora é o arremesso desesperado de uma alma desesperada nos braços de um Todo-Poderoso Salvador
2) A justificação pela fé não é somente o perdão dos pecados, mas Deus também imputa sobre aquele que crê a própria justiça perfeita de Cristo. Sendo assim, você tem se visto como Deus o vê, ou seja, alguém declarado como perfeitamente justo?
3) Você tem descansado na obra de Cristo como suficiente, ou tem sempre se preocupado que Deus não irá aceitá-lo?

Autor: Pr. Eduardo Garcia – CEO / Caxambu – MG – www.ministerioceo.com.br
Fonte de Pesquisa: Livro: Os Pilares da Fé – Franklin Ferreira
Correção Gramatical: Samuel Lopes Maciel
Coordenação e Revisão Geral: Pr. Donizétti Maciel

 

Estudo de Célula de Novembro de 2017

[su_note note_color=”#fff369″] Receba nossos estudos em seu e-mail, cadastre-se abaixo:

[wysija_form id=”2″]

Compartilhe este estudo!

+ Estudos

A Verdade sobre a Mentira na Vida Cristã

A Verdade sobre a Mentira na Vida Cristã

Texto Base: Atos 5.1,11 INTRODUÇÃOA história de Ananias e Safira é um relato impactante sobre as consequências da mentira, especialmente quando relacionada à fidelidade e à entrega a Deus. Este episódio revela a seriedade com que Deus vê a sinceridade e a integridade...

Desafios dos Seguidores Ocasionais

Desafios dos Seguidores Ocasionais

Texto Base: 1 Coríntios 15.19 INTRODUÇÃO No caminho da fé, encontramos diversos níveis de comprometimento entre os seguidores de Cristo. Um grupo particular é o dos seguidores ocasionais, que, apesar de sua aparente proximidade e atividade na igreja, possuem um...

A Eficácia da Oração do Justo

A Eficácia da Oração do Justo

 Texto Base: Tiago 5.16b INTRODUÇÃOAtravés da história de Ezequias, vemos o poder transformador da oração. Diante de uma sentença de morte, Ezequias voltou-se para Deus, demonstrando que a oração sincera e cheia de fé pode mudar situações aparentemente definitivas....

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *